20 de mai de 2018

Encontro de Fanfarras

O dia 19 de maio de 2018 ficará marcado pelo envolvimento dos leopoldinenses com sua primeira Festa Literária. A receptividade do público foi ótima, assim como o empenho dos atores de cada evento. Trazemos, aqui, algumas momentos registrados pelo Acadêmico Jovem Josué de Oliveira. É a ALLA Jovem respondendo aos objetivos para os quais foi criada.

Desfile de Fanfarras pela Rua Barão de Cotegipe

Encontro de Fanfarras na Praça Félix Martins



Fanfarra da Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado




Fanfarra da Escola Municipal Osmar Lacerda França


A Comissão Organizadora da Festa Literária de Leopoldina reitera os agradecimentos pelo apoio e participação das Escolas Municipais Judith Lintz Guedes Machado e Osmar Lacerda França, e parabeniza os componentes das fanfarras e seus regentes, Igor e Vinicius, respectivamente.

19 de mai de 2018

19 de maio: Banda Princesa Leopoldina na Praça


A Banda Princesa Leopoldina, sob a regência do maestro Bruno Estêvão da Silva Egídio, participa da Festa Literária e Cultural da nossa cidade.



Ao encerrarmos o primeiro dia da Festa Literária de Leopoldina, renovamos nossos agradecimentos a todos que colaboraram para o brilhantismo deste dia e esperamos continuar contando com a participação do público nos eventos que se estenderão até o próximo sábado, dia 26 de maio.

Lembramos que a FLILEO oferece diversas atividades, como pode ser conferido aqui.

A Praça se enfeita para receber a Banda Princesa Leopoldina

Depois de uma chuva ligeira, a Praça Félix Martins se aprontou para receber a Banda Princesa Leopoldina, na última atividade do primeiro dia da Festa Literária.
Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira e a Praça Félix Martins, palcos de atividades neste primeiro dia da Festa Literária

Desfile de Fanfarras

Leopoldina está em Festa! Festa Literária de Leopoldina.

Desfile de fanfarras pela Rua Barão de Cotegipe.
E o Encontro na Praça Félix Martins.
Os regentes Igor e Vinícius, das fanfarras das Escolas Municipais Judith Lintz Guedes Machado e Osmar Lacerda França respectivamente.



Começam as oficinas da Festa Literária de Leopoldina

Dirigida pelo Acadêmico Jovem Lucas Benício Lourenço Melo, a oficina de redação "Alusão Cultural" foi realizada no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, na manhã deste primeiro dia da Festa Literária de Leopoldina.

Abertura da Festa Literária de Leopoldina


Com a realização do Sarau Literário no Museu Espaço dos Anjos, foram iniciados os eventos que durante uma semana acontecerão em Leopoldina, como parte da primeira Festa Literária - FLILEO/2018.

18 de mai de 2018

Autores em destaque na Flileo

A intenção de dar destaque aos autores leopoldinenses surgiu no início dos preparativos para a Festa Literária de Leopoldina. Embora muitos sejam desconhecidos na própria cidade, há tempos fazem parte dos interesses de dois acadêmicos que agora os reuniram no Dicionário dos Autores Leopoldinenses, livro que será lançado no dia 26 de maio,
último dia da Flileo, no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, a partir das 10 horas. 


A homenagem aos autores é a forma da Festa Literária trazer para o público tantos nomes de conterrâneos que se dedicam a escrever suas memórias, produzem literatura, escrevem sobre história e outros temas. Homenagear, inclusive, os autores do passado através de seus familiares. Todos foram convidados, muitos estarão presentes e alguns irão lançar um novo livro ou autografar a última obra. Além deles, teremos dois outros lançamentos durante a semana.

Começando no dia 22, quando haverá o lançamento de Tonico e seus primeiros dinheirinhos, do acadêmico Antonio Dias Pereira Filho, logo após a palestra do autor sobre Educação Financeira. Além de estudantes do Ensino Fundamental e Médio como público preferencial para o assunto, pais e professores poderão se beneficiar com reflexões sobre a maneira de lidar com o assunto e como orientar seus filhos e alunos. Afinal, todos precisamos saber lidar com os recursos financeiros e será sempre mais produtiva a aprendizagem orientada desde cedo, no ambiente familiar e escolar.

Dia 25 – Amor em azul, da palestrante convidada Teresa Cristina do Nascimento Bendini, logo após sua palestra “A poesia dentro da sala de aula”. Direcionado para um público bastante amplo, o carisma de Teresa Bendini certamente despertará grande interesse, tal como sucedeu em sua participação no Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos de 2017 e no Sarau Literário que o sucedeu. A poesia não pode ficar restrita a poucos e esparsos momentos da nossa vida, mas fazer parte de todos os momentos, seja pela lembrança do lido ou pela vivência do ali aprendido.

Dia 26 – O autor leopoldinense é o foco do evento que acontecerá no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, a partir das 10 horas. Iniciar-se-á pela palestra de José Luiz Machado Rodrigues sobre Obras e Autores Leopoldinenses e prosseguirá no Café com o Escritor, quando o público terá oportunidade de se encontrar com alguns autores que ali estarão conversando, lançando ou autografando suas últimas obras. 

  • Antonio Marcos Botelho Borges lançará seu livro de contos Menino de rua.
  • José Luiz Machado Rodrigues e Nilza Cantoni lançarão o Dicionário dos Autores Leopoldinenses.
  • Otavio Campos lançará Ao jeito dos bichos caçados. 

  • Daniella Guimarães de Araújo autografará Conto de um amor intermitente.
  • José Publio Cunha autografará Da vida a poesia.
  • Sandro Aloisio Matilde autografará Entre homens e anjos.
  • Silvana Calabria autografará Desabafos de Maria.
  • Familiares de Elizabeth Montenari trarão seu livro póstumo, Ceifa. 

16 de mai de 2018

As escolas na Praça


No dia 26 de maio de 2018, na Praça Félix Martins, centro da cidade de Leopoldina, dia do encerramento das atividades da FLILEO, estarão em evidência os trabalhos de estudantes e professores da rede de ensino pública e privada do município. 

O evento vem sendo dirigido pela Superintendência Regional de Ensino e pela Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina. As vinte e duas escolas públicas do município confirmaram presença, bem como grande parte das da rede privada. 

As instituições estão engajadas na Flileo desde o ano passado, quando houve o concurso para a escolha do logotipo da festa, e, agora, estão preparando materiais para serem apresentados no dia 26. Teremos exposições de textos literários, poesias, desenhos e HQs, charges, cartuns, cartazes, lançamentos de livros, teatros de fantoches, grupos de dança, apresentações musicais, paródias e banda. 

Além da exposição dos trabalhos, algumas escolas apresentar-se-ão no palco principal da Praça que será montado em frente à concha acústica. Destacamos entre as apresentações os já consagrados grupos de dança Pérola Negra e Assum Preto. 

A equipe organizadora da Festa Literária de Leopoldina agradece o empenho de professores e alunos, bem como da direção das unidades de ensino, e convida o público a prestigiá-las, visitando as tendas da Praça Félix Martins entre as 9 e 13 horas do sábado, dia 26 de maio.

11 de mai de 2018

Autores Leopoldinenses na Flileo




No sábado, dia 26 de maio de 2018, os escritores leopoldinenses estarão em destaque na Festa Literária de Leopoldina.
Logo após a palestra no auditório do Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, os autores estarão no saguão para autografarem suas obras.
Contamos com a sua presença!

8 de mai de 2018

Uma parceria de sucesso: “O menino no espelho”

Logo no início das atividades preparativas para a Festa Literária de Leopoldina surgiu a ideia de uma parceria com o Polo Audiovisual de Cataguases, para a exibição de um filme durante a programação. Mas, não poderia ser um filme qualquer, teria que haver alguma relação com nossa cidade. Afinal, o objetivo maior da FLILEO é exaltar a leitura e a literatura e, principalmente, a literatura da cidade de Leopoldina. 

Assim, após o contato inicial, nosso pedido foi prontamente atendido e a exibição de “O menino no espelho”, baseado na obra de Fernando Sabino, foi autorizada. 

A partir dessa confirmação, a equipe organizadora começou a traçar estratégias para que a sessão cinematográfica fosse realizada e, mais que isso, fosse preparada pelos professores nas escolas. A Superintendência Regional de Ensino e a Secretaria Municipal de Educação convidaram os professores de língua portuguesa do município para uma reunião. Foi o início de mais uma parceria com as escolas e a FLILEO, pois a primeira já havia sido realizada na escolha do logotipo da Festa. 

Na reunião, a equipe organizadora apresentou diversas sugestões de atividades e os professores foram bastante receptivos e, além de terem gostado de usar o livro de Fernando Sabino nas escolas, acrescentaram mais algumas ideias a esse trabalho de preparação. A reunião foi muito produtiva, os professores levaram a proposta para as escolas e o resultado foi a grande procura pela exibição do filme. 

As três exibições inicialmente previstas não serão suficientes para atender às inscrições e, por isso, a equipe já está em contato com o Polo Audiovisual para abertura de mais horários para que todos os inscritos sejam atendidos. 

Assim, antes mesmo do início da primeira Festa Literária de Leopoldina, temos a certeza de que será um marco para nossa cidade e nossa educação. E, juntos, equipe organizadora e escolas farão a diferença.

Por que a exibição de “O menino no espelho”, baseado na obra de Fernando Sabino?


 
A escolha do título atendeu à expectativa da Comissão Organizadora da Flileo por dois motivos principais. Em primeiro lugar, pensamos numa obra que despertasse nos estudantes a percepção de que a produção literária pode ser apresentada de várias maneiras, dado que a comunicação se realiza em diferentes formas de linguagem. Um filme demanda uma forma de leitura diferente de um livro ou de uma fotografia. Nada melhor para demonstrar tal assertiva do que exibir um filme baseado numa obra inicialmente publicada no formato livro. Desta forma, abrimos oportunidade para os alunos trabalharem com dois formatos de leitura. 

O segundo motivo, o vínculo do filme com Leopoldina, encontra em “O menino no espelho” duas vertentes. Por um lado, o fato de que algumas de suas cenas foram filmadas em Leopoldina. Alguns estudantes vivenciaram a agitação em torno do trabalho realizado na cidade há poucos anos e outros, certamente, ficarão tão encantados quanto, ao verem as imagens em movimento na tela. Por outro lado, no autor do livro que deu origem ao filme, Fernando Tavares Sabino, encontramos profundas ligações com Leopoldina. 

Fernando Sabino nasceu em Belo Horizonte em 1923 e faleceu no Rio de Janeiro em 2004. Era filho de Domingos Sabino e Odete Lacerda Tavares, ambos nascidos em Leopoldina, ele em 1881 e ela dez anos depois. Fernando era neto paterno de Nicola Carmelo Rosario Savino, nascido em 1852 em Ispani, província de Salerno, região da Campania, na Itália. A avó paterna, Angela Maria Grazia Apprato, nasceu na mesma localidade em 1855. Ambos fazem parte do grupo de imigrantes italianos que já vivia em Leopoldina em 1880, quando começou a tomar vulto a imigração italiana para nosso município. 

O avô materno do autor de “O menino no espelho” foi o jurista Fernando Pinheiro de Souza Tavares, que aqui exerceu os cargos de Juiz de Órfãos e de Promotor Público, tendo falecido em 1902, em Leopoldina. A avó materna foi Maria da Glória Lacerda, nascida e falecida em Leopoldina, filha do pioneiro Romão Pinheiro Corrêa de Lacerda, um dos povoadores do Feijão Cru. Maria da Glória era prima do marido Fernando, por ser ele neto de Albina Joaquina de Lacerda, irmã de Romão Pinheiro Corrêa de Lacerda. 

Portanto, os ancestrais de Fernando Sabino representam dois importantes aspectos da história de Leopoldina: o povoamento do Feijão Cru e a imigração italiana em Leopoldina. 

Lembramos, ainda, que o pai do escritor, Domingos Sabino, viveu em Leopoldina até 1909, tendo sido o que hoje pode ser considerado um empreendedor. Além de trabalhar com o pai Nicola no famoso Salão Recreio, uniu-se a um farmacêutico da cidade para lançar, em 1904, uma fábrica de água mineral. E o vínculo da família não se perdeu com a morte dos antepassados, já que os filhos de Domingos, todos nascidos em Belo Horizonte, frequentaram Leopoldina e aqui mantinham relações de amizade até, pelo menos, a década de 1970. Netas de Domingos Sabino ainda hoje se referem à casa de seus parentes que existia na “pracinha do ginásio”, onde hoje existe o edifício Athenas. 
Glaucia Costa 
e Nilza Cantoni 

"Bastidores da filmagens do longa metragem "O menino no Espelho", de Guilherme Fiúza com produção de André Carrera, da produtora Camisa Listrada. O Filme é baseado na obra homônima do escritor mineiro Fernando Sabino, cujos pais nasceram em Leopoldina. Curiosamente ao lado do prédio do Ginásio usado nas filmagens, existiu o "Salão Recreio" em que o avô do escritor, o Italiano Nicolau Sabino servia sorvetes, então uma novidade em Minas Gerais no início do século XX" por lucleopoldinense